CHEF MÁRCIA PINCHEMEL

   Márcia Pinchemel gastrônoma, baiana radicada em Goiás a mais de 30 anos, recebeu alguns prêmios em 2014, como o Prêmio Nacional Dólmã e o Prêmio Chef do Ano 2014 pela revista Veja. Vamos conhecer um pouco da Chef.

   Márcia Pinchemel, tornou-se embaixadora da culinária goiana e recebeu o prêmio chef revelação do Centro-Oeste em 2008, via revista Gula. O mérito veio, pois além de respeitar a alquimia dos sabores ela utiliza os frutos do cerrado como protagonistas de receitas requintadas. Participou do programa Mais Você da Rede Globo ministrando workshop para os candidatos ao Super Chef -2011. Além disso, esteve em vários festivais gastronômicos e no maior evento enogastronômico da América Latina, que é o MESA SP. No ano de 2014 recebeu mais duas reverências: Prêmio Nacional Dólmã e Premio Chef do Ano pela revista Veja.
   Unir cores e sabores com maestria faz com que o ato de cozinhar se transforme na mais deliciosa de todas as artes. Até mesmo porque o cozinheiro precisa ter a sensibilidade aflorada para fazer desta arte, algo único e inesquecível ao paladar de quem irá degustar.
   Para Márcia Pinchemel ser chef da cozinha é antes de tudo ser um apaixonado pelo ofício. Pois, sem esse entusiasmo seria impossível vivenciar por muito tempo o comando das panelas.

"Não adianta só fazer faculdade e especializações em escolas famosas. O mais importante mesmo é ter comando, intimidade e feeling"
   Na concepção de Márcia Pinchemel, para qualquer prato o fundamental mesmo é ter aroma, sabor, textura, cores e apresentação. Elementos primordiais para lugares que vão desde aos restaurantes, cafés, bares à casa dos nossos pais. Foi justamente no seu lar, que Márcia começou a ter as primeiras lições. "Minha mãe é excelente cozinheira. Aprendi muito com ela, como selecionar os alimentos, guardá-los na geladeira. Além disso, tenho duas irmãs que foram donas de restaurantes".

  Márcia Pinchemel define a gastronomia que faz como contemporânea. O primeiro restaurante que teve foi o Tropical Salad's no final dos anos 80. Depois, por 11 anos possuiu o famoso Le Bistrô, na turística cidade goiana de Pirenópolis. Hoje é chef executiva de cozinha do Antônia Bistrô, em Goiânia. A grande marca de Márcia refere-se à inovação e ao pioneirismo. Afinal, foi ela que idealizou o Festival Gastronômico e Cultural de Pirenópolis, no ano de 2004.

Como você cria um prato?

   Quando penso num prato, qualquer que seja, primeiro vem o principal ingrediente, ai vem como sopro no ouvido: coloca isto, coloca aquilo e assim quando vejo já ta prontinho, é so testar para adequar.

Qual o prato preparado por você que faz maior sucesso?

   Eu digo que o que me deu mais destaque é o Surubim da Corte ao Sabor do Cerrado, sendo este que ganhei como Chef Revelação Centro Oeste 2008, pela revista GULA/CEF. A Partir dali muitas portas se abriram.

Você prefere fazer receitas salgadas ou sobremesas?

   Minha inspiração é para a salgada, amo.

Qual é sua principal dica para quem está começando a cozinhar profissionalmente?

   Persistência, pesquisa e humildade.
 

Se você não fosse Chef, o que seria?

   O que me relacionasse com pessoas diretamente, como levar uma criação até seu cliente.

O que acha que aconteceu no Brasil para a gastronomia brasileira ficar em evidência?

   Não podemos negar que Alex Atala foi o maior marqueteiro da cozinha brasileira e deu o pontapé e mostrou a nossa cara e com isto os Chefs cansaram de fazer pratos internacionais, aumentou a auto estima gastronômica e se fortaleceu para usar nossos produtos, frutos, etc e mostrar nossa imensa riqueza gastronômica, valorizando tudo que é nosso e de nossos cantinhos.
 

Qual sua opinião sobre sustentabilidade?

   Ajudar o planeta a partir do que você faz, usa e produz. Participar de campanhas de conscientização, associação tudo com o intuito de concretizar e não esquecer que também é uma ação individual, você começa a mudança.


Publicado em: 12/01/2015